Alguma dúvida?    (85) 3242-4107 / (85) 99158-3939 whatsapp       Email: contato@urologiaceara.com.br
UROLOGIA CEARÁ, urologia ceara, urologiaceara, urologiaceara.com.br PÁGINA INICIAL

Cálculo Renal (pedra nos rins)
       Antigamente, boa parte da retirada das pedras dos rins ocorriam por um cirrugia em que se fazia um corte na parte das costas. 
       Entretanto hoje, a retirada de pedras dos rins (cálculos renais) pode ser feito por uma cirurgia que não apresenta cortes no abdômen ou nas costas (URETERORRENOLITOTRIPSIA). Nessa cirurgia, o urologista introduz pelo canal urinário uma fina vídeo-camera (figura 01-A).
 
 
 
Figura 01-A: Introdução de uma pequena câmera pela uretra até a chegada no rim.
 
        Com essa câmera, ele identifica a pedra no rim do paciente (figura 01-B).
 
Figura 01-C: Essa é a visão que o urologista tem de dentro do canal urinário.
 
(Figura 01-C: mostra a imagem do canal urinário (ureter), em forma de um túnel por onde entra a microcâmera a procura das pedras (cálculos).
 
Então, ele identifica o local da pedra, que geralmente tem essa coloração amarelada (figura 02).
 
(Figura 02- No centro do canal urinário, que tem coloração rosada, aparece uma pedra amarela, obstruindo a passagem do canal. No detalhe, há uma fibra azul, que o urologista usará para quebrar a pedra com auxílio do laser.)
 
Acoplado à câmera fica uma fibra a laser. Com o laser, o urologista fragmenta a pedra. (Figura 03).
 
   (Figura 03, a qual mostra a superfície da pedra já no início da fragmentação, já com alguns buracos, se assemelhando a um queijo ou as “crateras da lua”. Essa fragmentação continuará até que esse cálculo fique bem pequeno para ser retirado ou então, o cálculo seja pulverizado)
 
Com a ajuda de uma pequena rede, ele retira as pedras ou cálculos (figura 04-A e 04-B)
 
(Figura 04-A mostra um calculo sendo “pescado” por uma mino-rede ou basket. Com essa mini-rede, o urologista retira o calculo. Na figura 04-B mostra os cálculos retirados)
 
Após o procedimento, o paciente poderá precisar de um cateter chamado duplo J que fica posicionado internamente, sem precisar de cortes, com uma ponta no rim e outra ponta na bexiga (figura 05). Ele permite drenar melhor a urina, facilitando a saída da "poeira de pedra" resultante da fragmentação dos cálculos.
 
 Os cálculos renais costumam se apresentar com uma dor forte nas costas (figura 06).
 
Entretanto, os cálculos podem migrar para qualquer local do trato urinário (figura 07-A e 07-B), podendo estar nos rins, nos ureteres (os canais que levam a urina dos rins para a bexiga), na bexiga ou até na uretra (o canal que leva a urina da bexiga para o exterior). Por isso, algumas vezes, as pessoas podem sentir dor um pouco abaixo, irradiando para a parte inferior da barriga, ou até mesmo, para os testículos ou pênis nos homens, ou na vulva nas mulheres.
 
Geralmente, o urologista já sabe o local em que o cálculo está, pois a maioria dos cálculos podem ser visualizados por exames de imagem (figura 08).
 
(Figura 08-A mostra a pedra. Na figura 08-B há uma representação de como seria a imagem em edição, mostrando o calculo em evidência).
 
Algumas vezes, em cálculos bem maiores, o urologista pode fazer uma pequena incisão, de cerca de 1cm nas costas, e passar um aparelho chamado necroscópico, que é ligado a uma câmera. Por esse pequeno orifício, guiado pela câmera, ele introduz pequenas pinças, retirando os cálculos (figura 09). Essa cirurgia se chama NEFROLITOTRIPSIA PERCUTÂNEA.
 
(Figura 09-A que mostra o aparelho de necroscópico introduzido no rim e na imagem 09-B é possível ver a localização em que o urologista faz um diminuto furinho nas costas pra introduzir uma câmara e retirar as pedras).
 
Em outras situações, em cálculos menores, o urologista pode fazer o procedimento usando ondas de choque. Esse procedimento é chamado LECO (Litotripsia Extra-corporeo por Ondas de Choque). Nessa situação, ele não introduz nenhuma câmera pelo canal urinário. Ele posiciona um aparelho sobre a pele que emite ondas em uma dada frequência. A onda atravessa o corpo e chega até a pedra. Ao chocar-se com a pedra, ela fragmenta em vários pedaços, pulverizando o cálculo. O princípio físico é semelhante ao fenômeno que faz com que uma taça de cristal quebre-se quando alguns cantores projetam a voz, emitindo frequência de onda sonora que faz vibrar intensamente as moléculas que compõem a taça de cristal, até que ela se quebre.
 
Resumindo, os três procedimentos principais para se retirar os cálculos do sistema urinário são:
A) URETERORRENOLITOTRIPSIA (URL)
B) NEFROLITOTRIPSIA PERCUTÂNEA (NLP)
C) LITOTRIPSIA EXTRACORPÓREA por ONDAS de CHOQUE (LECO)




























DR. RAIMUNDO NETO
Hospital Leonardo da Vinci - UROCENTER
Rua Rocha Lima, 1563, Sala 6
Aldeota - Fortaleza - Ceará



Painel de Administração